A IMPORTÂNCIA DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NA SOCIEDADE - Meu nome é Johni

Meu nome é Johni
MENU
A IMPORTÂNCIA DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NA SOCIEDADE

A IMPORTÂNCIA DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NA SOCIEDADE

A sociedade tem mudado bastante, e uma de suas transformações estão relacionadas ao mundo dos negócios e a inclusão de pessoas com necessidades especiais no mercado. Isso porque as instituições não se responsabilizam apenas pela geração de lucro, mas agora também possuem papel político e social.

Isso significa dizer que as empresas passaram a ter o comprometimento com sua responsabilidade social, que deve atender ao seu dever em agregar valor na coletividade, tendo assim que cumprir tal dever através de inclusão, possibilitando o exercício dos direitos garantidos pela Constituição Federal, que assegura todos os portadores de necessidades especiais o direito a inclusão social.

Quando falamos em assegurar direitos, responsabilidade social, inclusão, significa que a sociedade está passando por um processo de adaptação ao incluir pessoas com algum tipo de deficiência ou necessidade no mercado, uma vez que o preconceito por vezes arraigado na constituição das empresas, visava apenas ao lucro e descartava oportunidades para pessoas com certas limitações. Isso mudou, e os rumos ao tratamento com igualdade e respeito tem se tornado pauta recorrente por onde passamos.

Como dito, para que essa inclusão seja realmente efetivada, a lei nº 13.146/2015 conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, assegura os portadores de necessidades especiais em questõescomo saúde, educação, moradia e trabalho. Vale lembrar que isso não só diz respeito ao mercado de trabalho, que é uma parcela significativa da sociedade que deve ter comprometimento com sua responsabilidade, mas sim também com relação aos demais direitos que todo cidadão deve ter, como acessibilidade, que é um ponto que merece ser tratado com importância, uma vez que para alguns, esse direito não é cumprido pela impossibilidade de se atender as necessidades de cada um desses indivíduos.

O QUE SE ENQUADRA COMO ACESSIBILIDADE?
  • Arquitetônica: Relaciona-se com obstáculos e ambientes, como por exemplo rampas, elevadores, indicadores para portadores de deficiências visuais, banheiros adaptados.
  • Comunicacional:Trata-se da comunicação escrita, virtual e diálogo interpessoal, isso envolve a escrita em braille, a adaptação de computadores, a presença de intérpretes de libras em escolas e eventos.
  • Metodológica:Trata-se da não diferenciação de indivíduos através de métodos e técnicas de trabalho excludentes ou que criam obstáculos para a participação nas atividades, e essas barreiras não devem existir em momentos de avaliação de desempenho, treinamentos, o importante é que haja conteúdo ou estratégia adaptada para o portador.
  • Instrumental:Está relacionado a utensílios de trabalho, junto a materiais de escritório, que devem estar acessíveis ou adaptado, como é o caso de cadeiras e computadores.
  • Programática:Refere-se as regras e políticas da organização, que devem objetivar a inclusão e a aposta no potencial dos colaboradores. E,
  • Atitudinal:Trata-se de políticas de conscientização dos profissionais e aprendizagem para lidar com a diferença. Isso envolve trabalho em equipe, cooperação, empatia, e aprender a trabalhar com as diferenças.
O CAMINHO AINDA É LONGO

Sabemos que por mais que as políticas e as leis tenham se adaptado e sendo mais rigorosas com sua aplicabilidade, a acessibilidade e a inclusão social das pessoas com necessidades especiais ainda tem um longo caminho para ser totalmente respeitada e aplicada. Vivemos em um país precário em educação básica, em infraestrutura urbana, e em outros tantos pontos que já conhecemos. Mas, é preciso ter força e nunca deixar que nossos  direitos sejam negligenciados. Quando agimos com responsabilidade social, todos saem ganhando.

13/03/2019 | Fonte: Metadados.com.br | Autor: Colaborador(a)

O que você achou? Deixe seu Comentário